NEWS
Campo de férias astronómico na paisagem protegida do Corno de Bico
2017 abril 04

Um workshop prático, numa edições anterior do AstroCampUma das aulas, apresentada pelo coordenador científico do AstroCamp, o investigador do IA Carlos Martins.A paisagem protegida de Corno de Bico.
Até 30 de abril estão abertas as inscrições para a sexta edição do AstroCamp, o único campo de férias astronómico em Portugal. O campo, onde alunos do ensino secundário terão a oportunidade de aprender com investigadores nacionais e estrangeiros, realiza-se na Paisagem Protegida de Corno de Bico (Paredes de Coura), de 6 a 20 de agosto de 2017.

O AstroCamp é organizado pela unidade de formação do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP), sob a coordenação científica do investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA1) Carlos Martins. Este campo tem como objetivo proporcionar aos estudantes selecionados uma combinação de formação inspiradora de alta qualidade, com repouso e lazer num ambiente tranquilo.

Este ano o AstroCamp conta com uma novidade – a maior organização europeia em astronomia, o Observatório Europeu do Sul (ESO2), apoiará algumas das atividades do campo e ainda oferece uma bolsa a um estudante proveniente de qualquer estado-membro, para participar sem custos neste campo de férias astronómico.

Para Carlos Martins (IA e Universidade do Porto): “Com a colaboração do ESO na divulgação do campo esperamos um aumento substancial do número de candidatos estrangeiros, que na edição de 2016 já foram 25% do total de candidatos. Potencialmente isto tornará o campo mais internacional, e a experiencia ainda mais valiosa para todos os participantes”.

Como sempre, o AstroCamp conta com o apoio do Centro de Educação e Interpretação Ambiental (CEIA), o que permite a sua realização na Paisagem Protegida de Corno de Bico, um local com condições excecionais de repouso e isolamento do stress dos centros urbanos.

A edição de 2017 conta ainda com apoios e financiamento da Agência Ciência Viva, Fundação Millennium bcp, Universidade do Porto e editora Gradiva. Estes apoios permitem que a participação dos alunos Portugueses selecionados não tenha qualquer custo.

O AstroCamp teve a sua primeira edição em 2012, e a partir da edição 2016 passou a aceitar candidatos de todos os países da União Europeia.


NOTAS


1. O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) é a maior unidade de investigação na área das Ciências do Espaço em Portugal, integrando investigadores da Universidade do Porto e da Universidade de Lisboa, e englobando a maioria da produção científica nacional na área. Foi avaliado como “Excelente” na última avaliação que a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) encomendou à European Science Foundation (ESF). A atividade do IA é financiada por fundos nacionais e internacionais, incluindo pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (UID/FIS/04434/2013), POPH/FSE e FEDER através do COMPETE 2020.

2. O Observatório Europeu do Sul (ESO) é uma organização intergovernamental de ciência e tecnologia preeminente que se destaca por levar a cabo um programa de trabalhos ambicioso, focado na concepção, construção e funcionamento de observatórios astronómicos terrestres de ponta, que possibilitam importantes descobertas científicas. O ESO também tem um papel importante na promoção e organização de cooperação na investigação astronómica. O ESO opera três observatórios de ponta na região do deserto de Atacama, no Chile: La Silla, Paranal (onde se situa o VLT) e Chajnantor.


Contactos

Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço Universidade do Porto Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Fundação para a Ciência e a Tecnologia