NEWS
Investigador do IA ť cientista convidado do Instituto Kavli
2019 junho 18

Tiago CampanteImagem artística da propagação de ondas no interior de uma estrela. Crédito: G. Perez, IAC/SMM
O investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA1) Tiago Campante é um dos cientistas convidados do programa Better Stars, Better Planets: Exploiting the Stellar-Exoplanetary Synergy, no Instituto Kavli para Física Teórica (KITP), que decorre até o próximo dia 28 de junho de 2019.

Segundo Tiago Campante (IA e Faculdade de Ciências da Universidade do Porto): “Este programa reúne os maiores especialistas nas áreas da astrofísica estelar e dos exoplanetas, com o objetivo de fomentar uma sinergia única entre estes dois campos e desta forma catalisar uma poderosa combinação entre os dados provenientes das missões TESS (NASA) e GAIA (ESA).

A junção destas duas bases de dados pode levar a respostas para perguntas como: Qual é a taxa de planetas com o tamanho da Terra em função das características das estrelas, como massa ou idade? Que influência tem a atividade estelar nos exoplanetas? Como é que as propriedades dinâmicas dos exoplanetas dependem do ambiente estelar e como é que variam com a idade da estrela?

O modelo colaborativo do KITP, situado na Universidade da Califórnia em Santa Barbara, serve para definir estratégias, atraindo os melhores investigadores do mundo de áreas diferentes, que normalmente não se cruzam, para fomentar colaborações entre eles. Neste programa, que junta investigadores das áreas da formação e evolução estelar com investigadores da área dos exoplanetas, Tiago Campante apresenta o seu trabalho na caracterização de estrelas (em particular gigantes vermelhas com planetas em órbita) usando técnicas de astrossismologia2, recorrendo aos dados das missões espaciais Kepler e TESS.

Sobre o convite, Campante diz: “Ser um cientista convidado no instituto Kavli é um claro reconhecimento do meu trabalho e da influência do IA. É uma oportunidade única para consolidar o nosso lugar como uma unidade de investigação de topo, e para continuar a definir a investigação de ponta em astrofísica.


Notas
  1. O Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) é a maior unidade de investigação na área das Ciências do Espaço em Portugal, integrando investigadores da Universidade do Porto e da Universidade de Lisboa, e englobando a maioria da produção científica nacional na área. Foi avaliado como “Excelente” na última avaliação que a Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) encomendou à European Science Foundation (ESF). A atividade do IA é financiada por fundos nacionais e internacionais, incluindo pela FCT/MCES (UID/FIS/04434/2019).
  2. A Asterossismologia é o estudo do interior das estrelas, através da sua atividade sísmica medida à superfície. Em sismologia, os diferentes modos de vibração de um tremor de Terra podem ser usados para estudar o interior da Terra, de forma a obter dados acerca da composição e profundidade das diversas camadas. De uma forma semelhante, as oscilações observadas à superfície de uma estrela também podem ser usadas para inferir dados sobre a estrutura interna e composição da estrela.

Contactos
Tiago Campante

Grupo de Comunicação de Ciência
Ricardo Cardoso Reis
Sérgio Pereira
Daniel Folha (Coordenação, Porto)
João Retrê (Coordenação, Lisboa)

Instituto de Astrof√≠sica e Ci√™ncias do Espa√ßo Universidade do Porto Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Fundação para a Ciência e a Tecnologia COMPETE 2020 PORTUGAL 2020 União Europeia